Atividade física deve ser incentivada entre o povo

A prática de exercícios físicos precisa ser um hábito sério por parte dos militantes, pois além de trazer benefícios para a saúde física e mental, garante melhores condições para o crescimento das organizações, para o aumento das lutas e para o combate, através do exemplo, do uso de drogas, do uso excessivo dos celulares ou de outros vícios pelos trabalhadores.

Foto: Felipe Barros

Na sociedade capitalista o sedentarismo é tratado com normalidade e muitas vezes é comum que hábitos nocivos à saúde física e mental sejam mais promovidos e incentivados do que aqueles que trazem benefícios ao ser humano.


Exemplo claro disso é o consumo de bebidas alcoólicas: a juventude tem mais fácil acesso à um bar que à um centro cultural ou esportivo e os meios de comunicação promovem a ideia de que a recompensa pelo trabalho duro, o alívio para um problema ou a comemoração de uma conquista estão sempre relacionados ao uso de álcool. Enquanto alguns capitalistas como Jorge Paulo Lemman, dono da Ambev e homem mais rico do Brasil, enriquecem vendendo hábitos que geram uma sensação passageira de felicidade, os trabalhadores adoecem física e mentalmente.


Um estudo publicado em 2019 pelo Ministério da Saúde apontou que apenas 4 em cada 10 brasileiros praticam atividade física regularmente e esse número é ainda menor para pessoas com baixa escolaridade e renda. A verdade é que faltam espaços esportivos e atividades culturais gratuitas, com fácil acesso e vagas suficientes para todos, sendo os espaços privados muitas vezes a única opção para quem busca esse tipo de atividade.


Ao longo dos últimos anos ocorreram diversos cortes na área do esporte e lazer: em 2018, Temer cortou R$25,7 milhões do Programa Bolsa Atleta, deixando milhares de atletas sem renda; Bolsonaro, logo em seu primeiro ano de mandato, rebaixou os Ministérios do esporte e da cultura à secretarias e, como de costume em seu governo, colocou generais não capacitados para o comando; em 2020 o orçamento federal para o esporte caiu de R$431 milhões para R$221 milhões, deixando diversos atletas desempregados e fechando diversos clubes, times e espaços de recreação.


De fato não é do interesse dos capitalistas que os trabalhadores tenham acesso à cultura, esporte e lazer sem que isso esteja submetido à sua sede de lucros. Para a garantia de acesso a espaços culturais e esportivos para todos seria necessária uma sociedade onde os interesses do povo estivessem em primeiro lugar, ou seja, uma sociedade socialista.


Benefícios da Atividade Física


A prática regular de atividade física é essencial para o bem-estar e a qualidade de vida do ser humano, pois previne diversas doenças físicas, auxilia na boa manutenção do corpo e ajuda a prevenir e tratar doenças mentais, como depressão e ansiedade.


Diversos estudos comprovam que a atividade física pode tratar quadros de depressão leve e moderada tão bem quanto medicamentos antidepressivos, além de não ter nenhum efeito colateral e de poder, quando transformada em hábito, impedir o retorno da doença. Estudos também apontam que quadros de ansiedade podem ter seus sintomas amenizados com a prática de atividade física de intensidade moderada (cerca de 150 minutos por semana).


De fato a atividade física promove diversas reações no cérebro como redução de inflamações, crescimento neural, alívio de tensão corporal e sentimento de bem estar, desde que sejam feitas atividades prazerosas e em intensidade adequada. Com a profunda crise de saúde em que vive nosso país a atividade física se torna ainda mais importante, pois previne as comorbidades que podem agravar um quadro de infecção pela Covid-19, por exemplo.


Para aqueles e aquelas que dedicam suas vidas à luta popular e pelos direitos dos trabalhadores, a atividade física é especialmente importante. Devido a correria do dia a dia vários militantes não se alimentam adequadamente e não praticam atividades físicas, o que em muitos casos leva ao adoecimento e ao mar estar físico e psicológico, atrapalhando não apenas o indivíduo mas toda a luta coletiva.


Um estilo de vida saudável é fundamental, pois a luta por uma sociedade melhor é mais eficiente quando a mente e o corpo estão sãos. Bertold Brecht diz em um de seus poemas sobre o Partido que:


“Nós somos ele.

Você, eu, vocês – nós todos.

Ele veste sua roupa, camarada, e pensa com a sua cabeça

Onde moro é a casa dele, e quando você é atacado ele luta.”


Se as organizações revolucionárias do Brasil andam com as pernas de seus militantes é fundamental que essas pernas consigam subir os morros e favelas, se lutam com seus braços, é preciso que eles consigam erguer cada vez mais alto a bandeira vermelha e se pensam com suas cabeças, é preciso que elas estejam em condições de propagandear as ideias do socialismo, de planejar as lutas e de organizar mais e mais pessoas.


Para um revolucionário, combater os vícios impostos pela burguesia e estabelecer uma nova postura frente à vida é uma necessidade. Um comunista precisa estar preparado para enfrentar os desafios da luta e atento aos ataques que o sistema pode oferecer. A prática de exercícios físicos precisa ser um hábito sério por parte dos militantes, pois além de trazer benefícios para a saúde física e mental, garante melhores condições para o crescimento das organizações, para o aumento das lutas e para o combate, através do exemplo, do uso de drogas, do uso excessivo dos celulares ou de outros vícios pelos trabalhadores.


Stalin dizia que os quadros são o maior tesouro do Partido. Portanto, cuidar dos quadros é cuidar do Partido.




KAREN ALMEIDA e VITOR ZACK

Militantes da UJR