Opinião: Jacarezinho, a ideologia e o racismo

O delegado Felipe Curi afirmou em entrevista coletiva sobre as mortes de Jacarezinho: "Não tem nenhum suspeito aqui. A gente tem criminoso".


O policial busca apresentar os mortos como bandidos e que bandidos pobres devem morrer. Defende uma prática criminosa, de chacina e de extermínio em massa.


Curi foi apenas o porta-voz de uma ideologia que humilha os pobres e executa os excluídos do sistema capitalista. Curi afirma com isso que os filhos dos pobres são os culpados pela violência, pelas drogas e por todos os males.


Esta prática faz parte de uma pregação ideológica feita diariamente em jornais, revistas, igrejas e tem por objetivo humilhar e manter os trabalhadores, os padeiros, pedreiros, garis, domésticas, etc., acorrentados, de maneira invisível, aos seus exploradores. Ouvindo a mentira repetida milhões de vezes, esses trabalhadores, acabam se achando incapazes de educar, ganhar o sustento e, por isso, aceitam viver de cabeça baixa sendo explorados e humilhados.


O povo pobre, negro e trabalhador, tem sua visão nublada, não enxerga a verdadeira causa dos seus problemas. Os pobres não vêem que os ricos, os empresários e seus políticos corruptos são os verdadeiros responsáveis por todas essas mazelas. A produção e distribuição de cocaína é feita por empresários, com a participação de militares. A miséria, que cria os excluídos, é também gerada pela apropriação das riquezas da sociedade feita por milionários e multinacionais. Empresas e políticos corruptos sonegam e desviam até mesmo os míseros impostos que deveriam ser investidos em saúde e educação para o povo.


Enfim, nos exploram violentamente, nos jogam em favelas e quando somos excluídos, nos descartam nas prisões ou fazem a "limpeza" e "embranquecimento" por meio de chacinas como essa que ocorreu em Jacarezinho. Não foi a primeira nem será a última, infelizmente. Esta ideologia é bruta e bastante concreta, justificando mortes acima das próprias leis burguesas.


É preciso dar um basta!


Destruir o sistema capitalista é a única maneira de acabar com a sua ideologia. O liberalismo racial e feminista acaba sendo defensor do sistema, pois defendem o fim de uma opressão que está na superfície, mas não o fim da exploração do ser humano. A exploração do ser humano é que tem que ser abolida, pois está na raiz de todas as opressões. Marx deu o recado: acabar com a escravidão assalariada é a tarefa para qual somos chamados.




WANDERSON PINHEIRO

Foi 1° Coordenador Nacional da UJR e, atualmente, é membro da Executiva Nacional da Unidade Popular (UP)