«

»

Não à criminalização dos movimentos sociais! Todo apoio a Guilherme Boulos!

A União da Juventude Rebelião (UJR) vem a público repudiar veementemente a mais nova tentativa de criminalização dos movimentos sociais através da representação impetrada pelos anti-povo DEM e PSDB, maiores representantes e herdeiros da ditadura e das privatizações, contra o companheiro Guilherme Boulos, do MTST.

Trata-se de uma tentativa de impedir a mobilização popular e frente as crescentes manifestações ocorridas no último período, as elites esperavam que o povo ficasse na janela acompanhando o golpe pela TV, sem participar ou opinar nessa conjuntura.

boulosJunto com o MTST, o companheiro Boulos, e diversas organizações do movimento popular, a UJR constrói a Frente Povo Sem Medo, e nas ruas desse país temos unido forças na luta contra o ajuste fiscal e o retrocesso, simbolizado com a tentativa de impeachment que tramita no Congresso Nacional, presidido pelo corrupto Eduardo Cunha.

Ao tentar caracterizá-lo como promotor de “incitação ao crime”, a representação do Dep. José Carlos Aleluia (DEM-BA) cita a convocação de greves, ocupações e mobilizações. Quer dizer, a luta dos trabalhadores e da juventude é, de fato, o grande alvo dessa representação.

A UJR se solidariza com Boulos e denuncia a tentativa de criminalização do movimento social, no mesmo período que iniciativas como a lei antiterrorismo tem sido implementadas, tornando ainda mais clara a tentativa de impedir a luta do povo e manter as injustiças sociais e os privilégios que os ricos possuem no país.

Não à criminalização dos movimentos sociais!

Apoio e solidariedade a Guilherme Boulos e a luta do MTST!

Coordenação Nacional da UJR