«

»

Nota de esclarecimento

A União da Juventude Rebelião (UJR) vem a público manifestar sua profunda indignação com as calúnias e ataques sofridos pelo companheiro Lincoln Emmanuel, por parte da União da Juventude Socialista (UJS), frente a fatos supostamente ocorridos na última semana na cidade de Belo Horizonte-MG.

Essa organização busca recorrentemente esconder suas manobras e outros artifícios, tão conhecidos de todos aqueles que militam ou já militaram no movimento estudantil, criando cortinas de fumaças diante da realidade dos fatos, em especial quando os mesmos são desmascarados frente à base do movimento.

No último dia 12 de novembro, na Escola Estadual Governador Milton Campos, mais conhecida como Estadual Central, esse grupo tentou promover uma “eleição” para o grêmio estudantil, sem que respeitasse nenhuma instância deliberativa da entidade, como conselho de representantes de turma ou assembleia dos estudantes, ou seja, sem nenhuma legitimidade frente aos estudantes daquela instituição.

lincolnDiante da denúncia promovida por representantes de diversos grêmios estudantis, da AMES-BH, e em especial pela negativa dos estudantes do Estadual Central em compactuar com tal manobra, promoveram uma confusão visando criar um fato político, acusando o então presidente da AMES-BH e militante da UJR, Lincoln Emmanuel, de agressão a uma militante da UJS, a estudante goiana Daiany Macedo.

A tentativa de desviar o foco para a verdadeira agressão cometida, contra os estudantes e sua representação no Estadual Central, é inadmissível. Violência contra mulher é crime, e o Estadual Central já foi palco de violência a mulheres, como quando PM´s e seguranças agrediram a ex-presidente do grêmio Júlia Raffo. No entanto, usar do expediente da mentira com essa pauta para tentar esconder seus atos é uma atitude covarde,  vergonhosa e machista, uma vez que instrumentaliza a pauta do combate à violência contra as mulheres!

Como organização política revolucionária, a União da Juventude Rebelião e sua militância estão envolvidas de norte a sul do país no combate a violência contra a mulher, por mais direitos e igualdade para todos em nossa sociedade. De público gostaríamos ainda de afirmar que não aceitaremos essas calúnias e difamação sobre o companheiro Lincoln, e aqueles que têm promovido essa campanha de mentiras fiquem certos que responderão na justiça por tais acusações.

União da Juventude Rebelião, novembro de 2014.